Você coloca o seu dinheiro onde está o seu discurso?

 

O esvaziamento do empoderamento feminino pelo marketing é fácil de ser reconhecido. Às vezes basta olhar a ficha técnica. Por trás de campanhas maravilhosamente executadas que pregam o girl power e conquistas individuais por meio de auto afirmações ("Você pode tudo!", mas, socialmente falando, será que podem mesmo?), os investimentos, o poder criativo e os louros provenientes de temas intrinsecamente femininos e colocados em voga pelas mulheres vão direto para os bolsos dos homens de sempre.

Por mais desconstruídas e capazes que sejam de elaborar conceitos maravilhosos e livres de machismo, marcas que assumem um compromisso inegociável com mulheres devem confiar nelas para assumir o planejamento e a execução de sua comunicação. Isso é colocar o seu dinheiro onde está o seu discurso e colaborar de forma efetiva com a valorização das mulheres no mercado de comunicação - uma necessidade urgente que marcas podem ajudar a solucionar de forma direta e efetiva.

Afinal, o empoderamento feminino passa necessariamente pelo empoderamento financeiro. Seja na escolha de profissionais que vão compor sua equipe ou de quem serão os fornecedores, é possível empoderar muitas mulheres sem precisar ir além de escolhas que já fazem parte do dia-a-dia do negócio. Isto é, dar a elas as vagas, contratos, investimentos e reconhecimento para que se desenvolvam e sejam cada vez mais valorizadas. Sem esquecer, é claro, de um olhar interseccional, incluindo mulheres negras, trans* e com deficiência - de forma que esse empoderamento não alcance apenas as mulheres brancas de classe média de sempre.

Se queremos diversidade e falamos sobre sua importância dentro das equipes, sobre o sem número de pesquisas que já comprovaram a diferença positiva de times heterogêneos traz em lucro, precisamos entender o papel das empresas em exigir mulheres à frente de seus processos de comunicação. Especialmente no que diz respeito às agências de publicidade e parceiros afins, esperar que esse movimento aconteça naturalmente é ingênuo, por mais que o tema tenha estado em voga ultimamente.

Sem que esse tipo de empoderamento aconteça, o impacto se encerrará em discursos liderados, planejados, pensados e desenvolvidos por homens. Todo o esforço das mulheres para finalmente ter suas necessidades reconhecidas pelo marketing terá servido apenas para munir os profissionais de sempre com insights para o desenvolvimento de novas campanhas.

Diante do controle que se têm sobre a escolha de profissionais, parceiros e fornecedores, as empresas que desejam contribuir com a causa das mulheres têm nas mãos a chave para transformar essa realidade. Afinal, o mercado publicitário nem sempre respeitou as mulheres, mas sempre respeitou seus clientes.